Eu já escutei experiências absurdamente graves, dolorosas e traumáticas. Ouvi mulheres com intenso sofrimento psíquico diante de violência sexual. Já escutei mulheres que desenvolveram transtornos depois de passarem anos sendo vítima de estupro marital. Há vários pontos em comum entre todas nós: sofrimento, culpa, dificuldade de encerrar, insegurança, e sobretudo, o SILÊNCIO. Eu fui “salva” quebrando o silêncio. Contei a minha história no livro “Abusada” E por isso continuo escrevendo, para dizer que é preciso falar, jogar fora, contar para alguém. Eu sei, vocês têm medo, têm medo de não acreditarem ou de se machucar ainda mais. Mas é preciso falar. Acredite, alguém vai acreditar em vocês: tente uma, duas ou mais vezes se precisar, mas FALE, ESCREVA, GRITE! Eu também sei que tem grandes chances de que quem está te violentando, é um conhecido da sua família, um tio, um primo, um padrasto, um marido ou seu próprio pai. Mas também sei que, ao guardar todo o sofrimento, você vai ficar tão abafado, tão triste, que não conseguirá viver alegre nem nos momentos de alegria, e nem conseguir superar os momentos tristes da vida. Às vezes acumulam tanto em silêncio, que acabamos num sofrimento crônico, sem nem saber porque estamos sofrendo. A dor se torna rotina. O tempo vai passando e você pode se acostumar com a violência, mas isso significa um mal tão grande, que fará você lidar de maneira estranha e problemática com a sua vida e com as pessoas em sua volta. Não se conforme em viver infeliz. FALAR sobre a situação me salvou, espero que meu depoimento te ajude a falar também. Eu me livrei de algumas inquietações e angústias sobre essas experiências na análise (terapia), eu misturava as sensações sobre o que era experiência de aprendizado do que era violência. Aqui marco a importância de procurar atendimento psicológico para conseguirem lidar com a violência e seus danos. E tentando concluir, quero dizer que entendo sua dificuldade em lidar com as ameaças e o medo de contar, mas posso te garantir que tem pessoas que acreditarão em você. EU ACREDITO EM VOCÊ!
Susete Pasa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.