Uma neblina esconde o que pode acontecer de bom no meu futuro. Nesse momento, uma tempestade apaga as memórias positivas, e eu sinto direitinho que estou escorregando para os labirintos sombrios dos meus pensamentos. São sinais de que estou entrando lentamente em uma teia que me leva a depressão, e fica difícil lidar com a minha própria motivação, onde até mesmo atividades prazerosas se tornam algo sem sentido. Com isso, as atividades são substituídas por períodos de inatividade, e o isolamento se torna minha melhor companhia. Uma luzinha vermelha se acende, aos poucos vou percebendo que não tenho vontade de participar das reuniões familiares e do convívio com amigos mais próximas. Uma vida solitária vai se instalando, podendo chegar ao ponto de eu não querer mais sair de casa. O Labirinto emocional está montado. O bla bla bla mental começa a correr desenfreado construindo narrativas para explicar o momento atual e buscando de forma desesperada uma saída. O looping de pensar e pensar e não sair do lugar, cansa. A tristeza traz uma vontade de se isolar, que traz desconexão das pessoas queridas, que traz mais tristeza e outro looping começa a acontecer no labirinto. Outro sinal de alerta, é aquela vozinha negativa sobre mim mesma, de me sentir menos importante, de me sentir inútil. É aquela sensação de que a “vida está sem sentido”, de me sentir um “peso na vida dos outros”.

Aprenda a se conhecer, a perceber os gatilhos mentais que causam essas mudanças no seu comportamento. Assim não ficamos reféns de nossas próprias emoções e aprendemos a enfrentar os desafios. Vale ressaltar que ignorar estes sintomas não vai fazê-los desaparecer. Pelo contrário, há grandes chances de agravar o quadro, como o aprofundamento da tristeza, que por sua vez, pode aumentar o desamparo, e pensamentos mórbidos.

Se você acha que está entrando em depressão novamente, a primeira coisa é aceitar os sentimentos, aceitar que o labirinto está montado, que o oponente está em situação favorável. Precisa perceber o corpo e lembrar da respiração. Com calma e paciência, aproveito as oportunidades que aparecem para ganhar terreno e chegar mais perto da saída do labirinto. Ganhar terreno é encontrar os espaços. Nos espaços, o ar volta a fluir aos poucos e a defesa vai construindo uma saída.

Um passo depois do outro sem pressa. E comente com seu psicólogo. Não se deixe levar por pensamentos destrutivos. Essa não será a primeira, nem a ultima vez que a tristeza baterá na minha porta. Talvez a graça da vida esteja justamente em cair e levantar quantas vezes forem necessárias. A música nunca para, é só o volume dos pensamentos que ficam altos demais por um tempo e não deixam espaço para apreciar essa e outras coisas da vida.

Susete Pasa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *