Avaliação:
5/5
A Princesa Prometida é um conto clássico escrito por S. Morgenstern, mas este livro em si é composto por todas as “partes boas” e foi editado por William Goldman. A história de outra história que foi baseada em uma História que supostamente existiu. Confuso, mas fácil de acompanhar. Depois de ler, meu coração ficou cheio de alegria pelo fato de ter tido uma adaptação fiel à trama e aos personagens, e também, pelo simples detalhe de ser um clássico tão adorado.**** **É um livro fácil e divertido, com um tom satírico pontual, que usa artifícios clichês de contos de fadas para construir o seu cenário cheio de sarcasmo e de piadas escondidas**. Através dos personagens, temos críticas sutis a déspotas e à coroa, temos a busca incessante pelo amor verdadeiro e pela concretização dele e até mesmo uma corrida pela vingança. Buttercup é uma camponesa que se apaixona perdidamente por Westley, o jovem humilde que trabalha na fazenda do pai dela. Juntos, eles descobrem o amor verdadeiro, mas um trágico acidente envolvendo um navio pirata os separa. Em poucos anos, Buttercup se torna a mulher mais bonita de todos os reinos e acaba sendo pedida em casamento pelo sádico príncipe Humperdinck. Mas nada, nem um poderoso príncipe amante da caça, é capaz de separar esse amor, e o destemido Westley volta para resgatar sua princesa que foi prometida a outro. Em uma paródia aos épicos clássicos, William Goldman escreve um divertido romance com direito a tudo que o gênero tem a oferecer: piratas, duelo de esgrima, traições, tramas políticas da realeza e um romance apaixonante. Esta edição de luxo em capa dura traz os textos extras que William Goldman escreveu para as edições comemorativas de 25 e 30 anos da obra original, que misturam ficção e realidade e ajudam a compor o universo emblemático que transformou a obra em um fenômeno. A grande virtude de A Princesa Prometida é não se levar a sério. Goldman brinca com os clichês de livros do gênero. Buttercup não é exatamente o protótipo da princesa perfeita. Ela dispensa rapazes e brinca com os sentimentos de Westley em um primeiro momento. Não tem nada mais canastrão do que as frases do protagonista para sua princesa. Ao mesmo tempo, somos colocados diante de várias situações impossíveis como Fezzik carregando quatro pessoas nas costas para subir um rochedo ou a pílula da ressurreição de Max Milagreiro. Esse espírito gostoso de não se levar a sério é o que vai arrancar várias risadas dos leitores. Para quem é fã de Monty Python vai adorar os trocadilhos e as piadas internas. A Princesa Prometida é aquele tipo de história que todos precisam conhecer. A gente vê referências o tempo todo em séries como Supernatural, Shrek, How I Met Your Mother, The Big Bang Theory, Game of Thrones e a lista segue. Uma obra tão referenciada não tem como não ser boa ou minimamente digna de nota. É um clássico com interferências em vários elementos da cultura pop nos dias de hoje. E está à disposição em uma belíssima edição feita pela editora Intrínseca que produziu uma capa lindíssima e um trabalho de editoração muito competente. É um trabalho digno desta obra e uma edição muito agradável. Recomendadíssimo!
Susete Pasa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.