Avaliação:
5/5

Baseados em fatos reais:

 “Uma Burca Por Amor” de Reyes Monforte.

A historia de María é uma vida dedicada de amor real, inabalável, indescritível, mas que me despertou muitos gatilhos. Tudo que Maria suporta por amor a Nasrad, abrindo mão da própria identidade por ele, é difícil de compreender. Faz o leitor se envolver a cada capitulo, conta a história de María Galera, uma jovem impulsiva que foge de seu país, a Espanha, e ruma para Londres em busca de uma vida diferente. Lá ela conhece Nasrad, de origem afegã, e se apaixona perdidamente, se casa, e se converte ao islamismo. E não demora muito ela engravida e neste mesmo período o marido precisa fazer uma viagem para o Afeganistão para visitar sua família. E Maíra mesmo grávida vai com ele. Lá ela começa a conhecer as suas mazelas, pois seu parto se adianta, ela tem de ter o filho na aldeia, o problema é que o país está sobre o regime talibã e as mulheres não tem direito a nada, e quando digo a nada, é nada mesmo. Não podem ir ao hospital, não podem trabalhar, não podem opinar, só podem andar nas ruas acompanhada de um homem e totalmente coberta pela burca, e se aparecer um pedaço de pele do corpo é motivo para ser apedrejada na rua. Depois que ela tem o filho na aldeia, e passa o maior sufoco, tudo da certo e ela e o marido voltam para Londres. Porém, pouco tempo depois, eles precisam voltar de novo para Afeganistão, mas desta vez a viajem muda a vida deles de maneira drástica, porque eles são roubados e perdem todo o dinheiro e seus documentos, impossibilitando-os de voltar a Londres. E aí que começa o martírio da vida dela, porque ela passa a viver com os sogros, cunhadas, primas e um  monte de parentes de seu marido, numa aldeia onde não há luz elétrica, água encanada, saneamento básico, onde as pessoas não dão importância a higiene pessoal, onde todos dormem amontoados em um mesmo quarto, e pra completar o martírio, uma sogra terrível. 

Ela e o marido tentam conseguir os passaportes e seus documentos de volta, mas nada da certo. Até que ela decide pedi ajuda a irmã, que com muito custo consegue ajudá-la, e tirá-la do Afeganistão e levá-la para a Espanha. Agora vem a parte que muita gente se revoltou, porque depois de conseguir voltar ao país de origem ela volta pro Afeganistão para viver com marido porque não consegue ficar longe dele. María tem uma personalidade impulsiva e uma obsessão pelo marido, acaba cometendo muitos atos de irresponsabilidades na vida e usa a justificação de que é por amor. Eu sou a prova viva que por amor, a pessoa possa se submete a situações de humilhações. Sei como é a dependência emocional, mas ela só pensou no amor que sentia pelo marido, esqueceu as necessidades básicas dos filhos. Sem contar que a irmã faz uma divida enorme pra trazer ela de volta e a María não deu valor. Quanto ao Nasrad, o marido, apesar de ser de origem afegã onde os costumes são que o homem é quem manda, ele trata a María muito bem. Enfim, de todos os livros que li em minha vida, este foi o que mais mexeu comigo, despertou vários gatilhos internos. Por vezes tive que interromper a leitura para que meu corpo se refizesse do choque emocional, vale muito a pena ler. 

Susete Pasa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *