Romper o silêncio, é sair do nosso lugar de dor, medo e vergonha. É verbalizar para que o estrondo tire da sombra tantas outras mulheres que se sentem seguras ouvindo a nossa voz. Quando eu falo, o faço a partir do meu lugar, da minha dor, mas toma a direção de chegar até você, para que nos sintamos acolhidas e fortalecidas nesse enfrentamento que precisa ser feito. A nossa atitude de expor a ferida, traz luz para tantas outras que estão condenadas a viver na treva do preconceito. Quando uma mulher fala, ela encoraja a outra mulher a falar. As regras da conveniência de uma falsa calmaria começam a ser rompidas. A gente se dá conta de que não estamos sozinhas. Falar se faz necessário e urgente, desejo que minha voz encoraje a cada uma a falar, a gritar, a ousar ir além do lugar que nos colocaram. E que assim, juntas, sejamos capazes de construir uma sociedade sem abusos.

Susete Pasa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *